Seis casos de intolerância religiosa registrados em uma semana em Nova Iguaçu

A Secretaria de Estado de Direitos Humanos e Políticas para Mulheres e Idosos (SEDHMI) recebeu seis denúncias de intolerância religiosa no município de Nova Iguaçu, todas entre os dias 24 e 31 de agosto. Na última quarta (30), o Centro Espírita Unidos pela Fé, em Austin, Nova Iguaçu, foi invadido e imagens de santos foram furtadas. Além disso, os criminosos quebraram louças usadas nos cultos e outros objetos.

Dentre os crimes registrados na última semana, estão casos de agressão à umbandistas e candomblecistas, terreiros invadidos e furto de imagens sagradas. De acordo com a SEDHMI, a Baixada tem 1.026 casas de matriz africana. Em Nova Iguaçu, são 253 terreiros, seguido por Duque de Caxias, com 220, Belford Roxo (166), São João de Meriti (113) e Mesquita (79).

O Secretário de Direitos Humanos, Atila Nunes, explica a importância da denúncia desses casos: “Muitas vezes eles são registrados como briga de vizinhos, e não como intolerância religiosa. Isso gera uma subnotificação, o que dificulta o mapeamento destes crismes e, consequentemente, a criação de políticas públicas de combate ao preconceito contra esses segmentos religiosos”.

O Disque Combate ao Preconceito pode ser acionado pelo telefone (21) 2334 9551, de segunda a sexta-feira, das 10h às 16h.


Faça Comentários pelo Facebook!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *