MP entra com ação contra Picciani por improbidade administrativa

Na mira. O presidente afastado da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), Jorge Picciani (PMDB), está sendo investigado pelo Ministério Público do Rio (MPRJ) por improbidade administrativa. A suspeita é de que ele tenha lavado dinheiro comprando gado. Picciani foi preso pela Lava Jato por desvios no transporte público.

De acordo com o jornal O Globo, o MP está pedindo bloqueio de bens de Picciani e de seu filho, Felipe Picciani, que também está atrás das grades. A empresa do parlamentar, Agrobilara, também está na mira do MP: segundo as investigações, eles usavam o negócio para lavar dinheiro fruto de corrupção.

A suspeita de que Picciani lava dinheiro em leilões de gado começou em 2013, quando o MP abriu investigações. O caso foi arquivado, mas reaberto em 2017 pelo Grupo de Combate a Corrupção do MPRJ.

De acordo com o MP, o ex-presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE), teria comprado, em 2014, R$ 600 mil em cem cabeças de gado da empresa de Picciani. O dinheiro seria fruto de corrupção.

 

 

[Foto: Fabiano Rocha / Agência O Globo]


Faça Comentários pelo Facebook!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *