A COR do GG ou A.C.O.R.D.O com GG?

Em sessão do dia 15 de agosto, vereadores de Mesquita discursaram a respeito das obras na Unidade Mista Dr. Mário Bento, em Jacutinga. Depois de elogiar a reforma, o vereador Professor Max (PPS) apontou que ela não está seguindo o padrão de cor imposto por lei: as paredes estão sendo pintadas de azul e branco, ao invés de verde a amarelo.

O vereador e policial militar Vandinho da Gráfica (PMDB), autor da lei de padronização, também pontuou sobre essa questão. A Lei nº 1.044 de padronização dos prédios públicos obriga que a pintura externa de todos os prédios do município seja feita com as cores da bandeira da cidade (verde e amarelo), as mesmas que eram utilizadas na campanha do ex-prefeito de Mesquita, Gelsinho Guerreiro.

Um áudio confirmado pela perícia, que circula nas redes sociais, comprova que o Professor Max ainda carrega consigo lembranças da gestão anterior: “É um novo momento para mim. É uma oportunidade que eu tenho de realmente fazer o papel do vereador, coisa que eu não fiz em quatro anos passados. Eu tenho consciência disso, mas eu fiz um acordo com o prefeito, o prefeito era meu parceiro, né? Então, assim, vamos lá, eu estou aqui para ajudar, só que esse [prefeito] agora não quer essa ajuda. Esse agora botou na cabeça que o Max é amigo do Gelsinho, e não pode ter nada. Ele esquece que ele é o prefeito, e eu estou vereador. Vamos aguardar, vamos ver daqui para frente”.

Resposta do prefeito
Procurado pela reportagem do Conecta, o prefeito comentou a declaração dos vereadores: “Acho que eles estão equivocados. Desconheço pintura azul na área externa. Mesmo porque não cometerei os erros do governo passado, onde na cidade inteira e em prédios públicos foram espalhados a logomarca através da pintura de um lápis, que inclusive culminou em uma ação através do Ministério Público onde colocou o gestor anterior inelegível por 8 anos”.

Relembre o processo
O ex-prefeito de Mesquita foi condenado a inelegibilidade e multa de 300 mil reais, pelo processo que envolvia a investigação sobre o jingle da campanha “Cidade Limpa com Educação”. Rogelson Sanches Fontoura foi investigado pelo uso ostensivo da máquina pública para alavancar sua candidatura. Dentre outras acusações, o processo nº 385-94.2016.6.19.0083 foi instaurado em 2016 e investigava a campanha “Cidade Limpa com Educação”, realizada indevidamente pela Prefeitura de Mesquita, com objetivo eleitoral.

O slogan do projeto foi pintado em postes, muros e demais locais da cidade com as cores verde e amarela, a mesma da legenda do PRB, partido de Gelsinho. Além disso, o slogan foi usado no jingle da campanha de Gelsinho. A defesa da coligação da qual o ex-prefeito fazia parte só alegou, na época, que a música era de propriedade do compositor.

Sobre a Unidade Mista Dr. Mário Bento
O atendimento foi interrompido temporariamente em janeiro desse ano, pela ausência de remédios, de materiais médicos e cirúrgicos em geral, e pelo estado precário nos âmbitos estrutural, administrativo e pessoal. O decreto foi publicado em Diário Oficial e assinado pelo prefeito Jorge Miranda (PSDB), e pelo secretário da saúde, Emerson Trindade da Costa. 


Faça Comentários pelo Facebook!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *