Em clima de guerra, Alerj segue votando pacote de redução de custos

Em mais uma rodada de votações da lei que prevê cortes de gastos do governo do estado, deputados do Rio de Janeiro votaram ontem a redução dos salários do governador, secretários e subsecretários de estado, a partir de 2017. Mais uma vez a votação se deu em clima de guerra no lado de fora da Alerj, com violentos confrontos entre a Polícia Militar e a população, que protesta contra medidas que vão atingir trabalhadores e servidores públicos estaduais.

Hoje está prevista a votação de mais quatro medidas polêmicas, entre elas a que limita o subsídio do bilhete único a R$ 150 e o que acaba com isenção da tarifa das barcas aos moradores de Ilha Grande e Paquetá.

Na votação de ontem, houve redução de 30% dos salários do governador, do vice, de secretários e subsecretários de estado. O salário do governador passa de R$ 21.868,14 para R$ 15.307,69.

Outra medida aprovada foi o fim da frota de carros oficiais a que tinham direito os 70 deputados da assembleia. Ela não será mais renovada e deverá ser extinta em dezembro de 2018. Os diretores da casa não terão direito a carro oficial já a partir da publicação da lei.

Também foi extinta a realização de Sessões Solenes fora do horário de expediente para diminuir o pagamento de horas-extras, bem como os coquetéis que eram custeados pela Alerj. Essas três medidas representarão uma economia em torno de R$ 26 milhões por ano.

*Com informações da Agência Brasil 


Faça Comentários pelo Facebook!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *