Belford Roxo realiza roda de conversa pelo Dia de Combate à Intolerância Religiosa

Dentre as pautas discutidas, os principais temas abordados foram a interferência da rede social no combate à intolerância e a maneira que as escolas estão abordando o assunto

No intuito de incentivar a harmonia entre as diferentes religiões existentes no Brasil, a Prefeitura de Belford Roxo realizou o quarto seminário alusivo ao Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa, na Casa da Cultura. O dia nacional de Combate é celebrado anualmente todo dia 21 de janeiro. Segundo a Secretaria de Estado de Direitos Humanos e Políticas para Mulheres e Idosos do Rio de Janeiro, Belford Roxo é um dos Municípios que menos apresenta casos de intolerância na Baixada Fluminense.

Estiveram presentes na roda de conversa representantes de diversas religiões. São eles: os professores Cláudia Mara e Eduardo Mattos (Kardecismo); Renata Aleixo (Candomblé); Salomão Moura (Federação Umbandista Nacional) e os pastores Beto Almada (Assembleia de Deus) e Júlio Costa (Laboratório de História em Experiências Religiosas da UFRJ).

Um dos temas abordados foram o impacto da redes sociais e como assunto é tratado nas escolas. (Foto: Reprodução/ Prefeitura de Belford Roxo)

Dentre as pautas discutidas, os principais temas abordados foram a interferência da rede social no combate à intolerância e a maneira que as escolas estão abordando o assunto. De acordo com o secretário municipal de Cultura, Bruno Nunes, a data precisa ser sempre lembrada e debatida. “Precisamos alertar as pessoas sobre o problema da intolerância gerado pelo desrespeito às diversas crenças existentes no mundo. O prefeito Waguinho e seu governo prezam pelo diálogo e por uma política de paz”, disse o secretário.  

A comemoração é considerada um marco pela luta ao respeito da diversidade religiosa, pois além de alertar para a discriminação no âmbito religioso, propõe a igualdade para professar as diferentes religiões. O preconceito e a intolerância religiosa são considerados crimes no Brasil, passíveis de punição previstas no Código Penal.


Faça Comentários pelo Facebook!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *