Rio de Janeiro adere ao Pacto Global da Organização das Nações Unidas

Entre os dez objetivos da ONU está o combate à corrupção, tema do I Fórum da Controladoria-Geral

O  Rio de Janeiro aderiu, na última quinta-feira (05), ao Pacto Global da Organização das Nações Unidas (ONU) e, a partir de agora, faz parte dos estados brasileiros que assumiram a responsabilidade de contribuir para o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU, também conhecidos como Agenda 2030. A assinatura, no Palácio Guanabara, foi entre o governador Wilson Witzel e o secretário executivo da Rede Brasil do Pacto Global, Carlo Pereira.

O Governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, comenta sobre o apoio dos dez princípios do Pacto Global relacionados aos direitos humanos, direitos do trabalho, proteção ao meio ambiente e combate a corrupção. “Com este compromisso, expressamos nossa intenção de apoiar e difundir tais princípios. Comprometemos a empreender esforços para divulgar publicamente este compromisso juntos aos nossos funcionários, parceiros, clientes e público em geral”, falou o governador ao ler a carta de adesão ao movimento.

Entre os dez objetivos da ONU está o combate à corrupção, tema do I Fórum da Controladoria-Geral. (Foto: Philippe Lima)

De acordo com a Rede Brasil do Pacto Global, a ação é a maior iniciativa de sustentabilidade corporativa do mundo, com mais de 13 mil membros em quase 80 redes locais, que abrangem 160 países. Lançado em 2000 pelo ex-secretário-geral das Nações Unidas, Kofi Annan, o Pacto Global é uma chamada para as empresas e instituições a alinharem suas estratégias e operações a 10 princípios universais nas áreas de Direitos Humanos, Trabalho, Meio Ambiente e Anticorrupção e desenvolverem ações que contribuam para o enfrentamento dos desafios da sociedade.

O secretário executivo da Rede Brasil do Pacto Global, Carlo Pereira, também comentou sobre essa decisão importante que os Estados do Rio de Janeiro se comprometeu em cumprir.  “Ao aderir aos dez princípios do Pacto Global, o Governo do Rio de Janeiro se compromete a implementá-los e reportá-los. Um relatório destas ações é gerado e segue para o portal para dar publicidade e deverá ser acessível ao mundo todo. É, sem dúvida, um objeto de transparência, o que dá bastante legitimidade ao processo. Isso mostra que o governo está atento às questões, principalmente relativas à corrupção, a partir do momento em que ele toma medidas de respostas aos atos ilegais e, sobretudo, medidas preventivas de combate à corrupção”, declarou Carlo Pereira.

I Fórum Internacional CGE-RJ

 A assinatura ao Pacto Global ocorreu no mesmo dia da realização do I Fórum Internacional da Controladoria-Geral do Estado, no auditório da Firjan, no Centro do Rio. Com o tema ‘Política Anticorrupção, Ética e Integridade no Estado do Rio de Janeiro’. O evento abordou o combate à corrupção e o fortalecimento da integridade pública e privada no território fluminense.

Um dos palestrantes foi o britânico Nikolas Kirby, pesquisador, professor e diretor do Programa de Construção da Integridade da Blavatnik School of Government, da Universidade de Oxford, no Reino Unido. O fórum contou também com a presença dos cônsules-gerais da Noruega, Rune Bjastad; do Reino Unido, Simon Wood; e dos Estados Unidos, Scott Hamilton; e ainda, representantes da Transparência Internacional, do Serviço Antifraude do Reino Unido e do FBI.

Bernardo Barbosa, concluiu sobre o evento realizado. “O I Fórum da CGE RJ representa um marco para o Rio de Janeiro e consolida o comprometimento da atual gestão da administração estadual com as políticas públicas. Autoridades nacionais e internacionais que tratam do assunto participaram do evento, o que demonstra a relevância do tema para o estado”, explicou Barbosa. 


Faça Comentários pelo Facebook!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *