Incêndios devastam a Serra de Madureira

Diversas áreas da Serra de Madureira foram afetadas por incêndios durante a última semana. Em Nova Iguaçu, o impacto das chamas já é visível. No lugar do verde vê-se ao longe sobras de vegetação queimada. As cinzas estão espalhadas pelas ruas e quintais dos bairros que margeiam o monte. Os resíduos da fauna e flora vitimadas na área de preservação ambiental se estendem desde o bairro Jardim Alvorada até o Valverde, distância que perfaz por aproximadamente 6 km na Av. Abílio Augusto Távora, a antiga Estrada de Madureira. Focos de incêndio foram identificados também em Mesquita. Abaixo, veja um vídeo onde o problema é mostrado.

Para o ativista Adriano Naval, a queimada é resultado de um ato criminoso: “Isso é feito pra renovação de pasto. Já há muito tempo a gente consegue observar que estão usando essa área, que é de preservação, pra pecuária. Só a prefeitura e sua Secretaria de Meio Ambiente não enxergam isso”, indignou-se Naval, que foi responsável por mobilizações voluntárias que realizaram o plantio de mais de 4700 árvores nativas em um projeto voluntário de reflorestamento.

Naval vê ainda que a delimitação das áreas dedicadas à reserva vem sendo colocadas subservientes a mercado imobiliário: “Estão sendo construídos condomínios de alto nível em áreas de proteção ambiental nas imediações da UNIG. Isso é um desrespeito com nossa falta e nossa flora”, comentou.

Para além dos reflexos imediatos da queimada, que massacra animais e vegetação, podem ser esperadas consequências graves a médio e longo prazo: “Com as chuvas que virão no verão, Nova Iguaçu vai sofrer muito com enchentes. Os sedimentos descerão, afinal, não há mais raízes que sustentem. Em parte, a cobertura vegetal quase não existe mais”, lamentou.

Foto: Blog da SEMAM Nova Iguaçu (22/08/2011)  

Faça Comentários pelo Facebook!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *