Mesquita monta comissão para fiscalizar obra da CEDAE

Em razão das intervenções da CEDAE em MEsquita, orientadores de tráfego estarão atuando em esquema de siga e pare até o próximo sábado, dia 2 de dezembro, com objetivo de auxiliar os motoristas que seguirão pelas ruas Celso Peçanha, Coelho da Rocha, Avenida União, Dona Flaviana, Barão de Salusse, Rodolfo Pessoa, Cosmorama, Bahia, Simonsen, Bráulio, Alpinos. As vias estão recebendo assentamento de rede, concreto e asfalto.

A Prefeitura de Mesquita montou ainda uma comissão formada por funcionários das secretarias de Obras e Defesa Civil (SEMOSPEDEC), Transporte e Trânsito (SETRANS) e Meio Ambiente e Urbanismo (SEMMURB) para fiscalizar a obra. De acordo com o secretário da SEMOSPEDEC, após colocar a nova tubulação, a CEDAE vai seguir com todo procedimento até a inserção do asfalto. “Essa foi uma das condições acordadas no contrato. Toda obra gera transtornos. É preciso que a população tenha um pouco de paciência. As melhorias começarão a ser notadas a partir do primeiro semestre do ano que vem, com a conclusão das intervenções. Estamos acompanhando todo processo e caso a população identifique alguma irregularidade, a denúncia pode ser feita através do telefone da Ouvidoria, o 0800 282 9260”, explica Mariano.

As intervenções fazem parte do projeto do Sistema integrado de Abastecimento de Água. Cerca de 40 trechos de ruas da cidade passarão obras para a colocação de tubulações novas, para aumentar a capacidade de abastecimento na região. Os bairros Coréia, Santo Elias, Cruzeiro do Sul, Centro, Santa Terezinha, Chatuba, Edson Passos, Cosmorama, Vila Emil, Banco de Areia e Jacutinga serão atendidos pelo projeto.

De acordo com a CEDAE, as obras estão 62% executadas e visam equilibrar o sistema de distribuição para toda a Baixada Fluminense, a partir de reservatórios, assentamento de adutoras e redes de distribuição. O valor investido em Mesquita é de R$ 10,3 milhões. A obra é realizada inteiramente pela Cedae, atendendo demandas históricas da região, além de corrigir desequilíbrios causados pelo crescimento desordenado de algumas áreas

 

[Foto: Paulo Tauil] 


Faça Comentários pelo Facebook!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *