Prefeitura de Mesquita quita salários atrasados

Motivo de protestos acalorados nos municípios da Baixada Fluminense desde o fim do ano passado, o pagamento de salários atrasados deixou ser problema para os servidores efetivados da prefeitura de Mesquita. A cidade saiu a frente dos demais municípios em crise e se livrou da herança maldita da gestão Gelsinho Guerreiro (PRB). O pagamento foi realizado em parcela única e está disponível na conta dos funcionários. Os recursos vieram de um empréstimo solicitado pela administração municipal ao MesquitaPrev, o fundo de previdência municipal.

Mais de R$ 14 milhões foram necessários para quitar a dívida, referente aos meses de novembro e dezembro e ao 13º salário. “Não há como iniciar um governo sem que as pessoas estejam motivadas. Iniciamos um processo de reformulação em todas as áreas da administração, visando principalmente essa quitação dos vencimentos atrasados”, comemorou o prefeito, Jorge Miranda (PSDB).

A quantia será devolvida ao MesquitaPrev em 36 parcelas, atualizadas monetariamente pelo IPCA e mais 6% de juros ao ano, a partir de janeiro de 2018. Funcionários terceirizados e cooperativados não estão entre os contemplados pela medida.

Com pagamento, sem greve

O anúncio da regularização deu fim à greve na Educação municipal. Já em Nova Iguaçu, a volta às aulas segue pendente. O ano letivo nas escolas da rede deveria ter iniciado no último dia 6, assim como em Mesquita, onde mais de 30 unidades ficaram fechadas.

Com os salários de novembro, dezembro e metade do décimo 13º pendentes e arrecadação em baixa, a administração tem dificuldades para vislumbrar soluções. “Estamos fazendo o possível para resolver isso”, disse o prefeito Rogério Lisboa (PR). O desafio é o mesmo nos municípios de Nilópolis e Belford Roxo. 


Faça Comentários pelo Facebook!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *